24/03/2013

"Aaaaaaaaaaaai, que felicidade!..."


Ai, ai... Estou ficando cada vez mais ansioso desde a sua última ligação. Desde quando me disse que estava chegando, essa semana. Já pensei, rapidamente, na despedida. Já me antecipei, já sofri um pouco, mas, guardei esse sentimento agridoce para a hora certa. Deixa-me curtir minha felicidade mais um pouco, essa ansiedade gostosa e essa vontade de te dar todo o amor.

Hoje, por questões de alcance e sinal, nós nos distanciamos um do outro por algumas horas. Mas sonhei com você. De alguma forma o universo conspira para que estejamos sempre em conexão e sintonia. Seja nas frases completadas um pelo outro ou nas diversas vezes que digitamos a mesma coisa, isso tudo por estarmos pensando da mesma forma.

Acordei sorrindo. Caro leitor imaginário, você já sentiu tanto amor por alguém que sorriu sem motivos? Não estou falando de uma gargalhada hilária, nem nada muito espalhafatosa e exagerada. Tô falando daquele riso bobo, de canto de boca, que, quando você percebe o motivo do riso, se descontrola, perde o foco, o raciocínio e se toca que você está sozinho no quarto, deitado na cama, debaixo do lençol, rindo por uma pessoa que te faz tão bem que, por alguns minutos, lhe faz esquecer todas as dores e problemas do mundo.

Sim, eu estou feliz. Sim, eu estou apaixonado. E, sim, depois do casamento gay de ontem, eu senti vontade de casar também. rs

"Eu só quero você por perto
Onde você possa ficar para sempre
Você pode ter certeza
Assim será muito melhor."
(No One - Alicia Keys)