11/06/2009

"Comentário..."

Ao ler o blog da minha amiga Janyne, percebi que a situação em que ela está passando nesse momento já foi vivida por mim há alguns meses. Decidi, então, postar aqui o comentário que fiz no post dela, chamado: Mais Chances.

"Ano passado, quando voltei a postar no blog, eu escrevi sobre isso: Devemos agir com a cabeça ou seguir nosso coração?
Provavelmente, estava passando pelas mesmas coisas que você está passando agora. Eu, só agia com o coração e a pessoa... com a cabeça!

Foi difícil pra mim seguir em frente, depois desse meu post, vieram vários outros textos tristes, chorosos, de arrependimento, mas uma coisa eu tenho certeza: Tudo valeu a pena!

Nyne, as experiências de outras pessoas nos ajudam a entender certas adversidades. Mas, nada como nós mesmos passando por todos esses problemas e percebendo, a cada momento que a gente olha no espelho, o quanto a gente cresce com isso!"


Eu mesmo cresci muito! Estou com 1,84m! Sinal de que quebrei muito a cara por aí, né?! Haha. Caro leitor imaginário: quebre a cara, cresça, divirta-se nesse final de semana prolongado e um feliz dia dos namorados! Xoxo!

05/06/2009

"I'm just living my life..."

Você está dançando facilmente nos meu sonhos.
Esta me atingindo mais forte e mais forte com todos os seus sorrisos.”

(Magic – Colbie Caillat)

Eu sempre gostei de antes de iniciar um texto, colocar uma música pra tocar, pra dar mais inspiração. Mas hoje eu não quero isso. Hoje, vim aqui para falar de amor, amor puro, simples e verdadeiro. E não me importo de estar ouvindo The Pussycat Dolls, cantando When I Grow Up no MTV Movie Awards, bem na hora do break down. Quando as coisas têm que acontecer, elas simplesmente acontecem. Get it?
.
Não sou uma pessoa de acreditar em superstições, nem em demônios e coisas do tipo. Creio em Deus e no que é bom pra mim. Mas tem uma coisa: não acredito que aquela sandália que está virada para baixo vai me trazer algum mal, porém, se eu, ao sair da cama pela manhã, por primeiro o pé esquerdo no chão, não sinto que aquele vai ser dos melhores dias de minha vida.

Hoje, definitivamente, levantei com o pé direito. Na verdade, venho fazê-lo tocar o chão primeiramente com mais freqüência que o esquerdo nos últimos dois meses. Algumas pessoas podem achar isso estranho, mas isso não importa mais pra mim. Aprendi que nós devemos levar em conta, mais que em primeiro lugar, a nossa felicidade e a felicidade daqueles que nos cercam (mesmo estando a 816 km de distância) e que também nos querem bem!

Li por aí que nós não devemos cantar nossa felicidade muito alto, porque a inveja tem sono leve. Então, vim aqui cantar minha felicidade bem baixinho, só pra você, meu mais que caríssimo leitor imaginário, ouvir. E canto mesmo! Não só aqui, ultimamente tenho saído pelas ruas rindo a toa, fazendo cara de bobo, de menino apaixonado, como quem estivesse descobrindo o primeiro amor, daqueles que se sonha acordado, que fantasia coisas, que quer viver (e vive!) intensamente e que descobriu que amor verdadeiro existe sim!

Ah, sabe quando a gente era mais novo e tinha aquela coisa de agendas e diários que a gente escondia debaixo da cama pra que nossa mãe nunca descobrisse nossos segredos? (Por mais que a gente saiba que ela sabia mais das coisas que tinha ali do que nós mesmos!) Então, era em um daqueles diários que eu sempre deixava uma notinha para a paixonite do momento todas noites, depois de ter feito o balanço do dia, bem no finalzinho da página. E hoje, nessa confissão, estou afim de fazer isso.

“Ao meu amor mais lindo: hoje, que fui aprovado na prova do Detran, ficou marcado que qualquer dia desses eu vou buzinar em sua porta e sair pra passear com você em meu Volvo prata. Parar naquela praia deserta e correr por aí com você enquanto o vento frio de inverno beija nossas peles. Ver seu cabelo preto voando, caindo no olho. Rolar na areia com você, segurar tua mão, ‘olhar seus olhos de promessas fáceis e te beijar a boca de um jeito que te faça rir’ e dizer que te amo, bem baixinho, sussurrando em seu ouvido.
.
“O que eu vou dizer.
Quando você faz com que eu me sinta desse jeito?
Eu apenas... hummm.”
(Bubbly – Colbie Caillat)