20/10/2010

"Fábula das batatas..."



Ai, que tormento, caro leitor imaginário! Parece que minha vida era guiar um caminhão de batatas que virou a curva escorregadia, derrubou todas as batatas pela estrada e agora é meu dever recolher todas elas, ver se estão todas bem e seguir meu rumo.


Mas nessa viagem, nem todas as batatas ficaram intactas. Algumas se amassaram muito, outras perderam parte da casca com o impacto no solo e não poderão ser mais utilizadas. Uma delas foi a que mais sofreu a pressão da queda: a batata estava no topo do veículo, rodopiou e caiu. Ao cair espatifou-se e teve seus pedaços pisados pelos pneus que freavam.


Essa batata aí não pôde ser aproveitada. Tive tanta pena dela que coloquei seus pedaços do meu lado, no banco do carona, como se fosse um bichinho de estimação. Ela segue comigo em todas as estradas. Agora ela não está mais disponível como antes e, antes que morra por completo, vou usá-la como adubo para novos pezinhos de batata que criarei com muito cuidado. Eles darão novas batatinhas e não deixarei que pneus desenfreados as pisem, as amassem e as destruam. 

14/10/2010

"Simples desejo..."

"I can't get you back to that one time
Cos you and me are still recovering"
(Begin Again - Colbie Caillat)



Já passei por dias difíceis. Dois, às vezes três. Não me lembro de ter ficado mais de quatro dias sofrendo, literalmente, por amor. Hoje, completaram-se cinco dias. Cinco dias de fingimento, de dor, de não saber o que fazer, de não saber o que dizer, de não querer atender, de ver e não saber o que responder.

Muitos me conhecem como uma pessoa alegre, feliz e simpática. Mas eu também amo. E quem ama está sujeito ao sofrimento. Uma coisa sem sentido e sem intenção pode acabar devastando o coração daquela pessoa que tanto te quer bem.

Sempre fui egoísta – é mal do signo, sou de escorpião. A experiência pela qual passei essa semana me fez refletir no quanto é realmente importante levar em consideração o sentimento das outras pessoas. E eu levei... mas não tive retorno.

Caro leitor imaginário, não leve em conta aquele pensamento absurdo de “primeiro eu, segundo eu, terceiro eu”. No amor temos que ser irracionais, temos que agir com a emoção, temos que pensar no próximo. Do contrário meus olhos não estariam doendo tanto como estão agora das lágrimas que derramei. Nem minha cabeça ardendo, nem meu peito queimando. O fato só me fez perceber a dimensão do meu sentimento. Às vezes, é preciso sentir que vamos perder para dar valor. E eu não falo apenas por mim...

Enquanto escrevo consigo sentir seu cheiro ainda em meus braços e o gosto de seus lábios em minha boca. Quero poder sentir o conforto de seu abraço sem me sentir culpado. Quero poder estar livre dentro de ti. Como faço para esquecer? Eu só quero voltar a ser feliz novamente.


"I never wanna fall apart,
Never wanna break your heart
Never wanna let you break my own"
(Begin Again - Colbie Caillat)