03/11/2011

"Alívio..."



Semana passada, eu realmente senti tudo o que eu mais queria sentir. Não era aquela sensação de felicidade, de amor, de borboletas no estômago. Foi uma sensação de alívio, de missão cumprida. Ter visto você me fez tirar um peso gigantesco da consciência. Quando meus olhos pousaram sobre sua pele - aquela pele que já me fez arrepiar e delirar ao sentir as melhores sensações que alguém já me fez sentir – eu nada vi.

Que alívio! Até o abraço, que era o que eu mais temia, mostrou que você não era mais o mesmo. Mas será que o problema era você ou eu? Será que foi você que desaprendeu a forma exata de abraçar? De me abraçar? Ou será que o diferente veio de minha parte? É, acho que a sensação de certeza estava se tornando cada vez mais concreta. A única coisa que ainda era a mesma em você era o teu cheiro e, acredite, caro leitor imaginário, o cheiro natural que vinha de você e que me convidava, dessa vez me fez sentir diferente.

Tua voz mudou, era uma voz mais rouca. Sua boca estava seca. A pele de suas mãos estava grossa, suada e fria. Sua pele estava pálida. Até seu sorriso estava diferente, parecia que você estava desconfortável ao me ver alí, já que eu estava em um patamar completamente diferente do teu. Era como se você também tivesse medo do que poderia acontecer, do que nós poderíamos vir a falar naquela mesa, cercados de pessoas desconhecidas e que nada sabiam do que diziam nossos lábios. Mesmo sabendo que aquele não foi um encontro para falar sobre nós... Hunf, nós.

Quem erámos nós? O que restou dos “nós” que nosso laço formava? Você me fez desacreditar de absolutamente tudo o que nós fomos um dia, de todas as coisas lindas que eram ditas até mesmo por nossos olhares quando se cruzavam. Isso se deu na sua forma de agir, de falar e de parecer não sentir tudo isso que eu sei que você ainda sente. Eu sentia toda vez que eu te via que eu amava você e essa foi a primeira vez que isso não aconteceu.

A certeza que eu tinha do medo da maneira que eu reagiria ao te ver, transformou-se na certeza de que hoje eu tenho um coração livre, que criou asas e está absolutamente isento do sentimento que me prendia a você. Além da amizade, a única outra coisa que quero de você é o bem: o seu bem e ver você bem... Bem longe de mim.

“Rindo, tô que nem criança,
Tô de alma limpa.
(Ouro Pra Mim – Renata Arruda)

18/10/2011

O tempo voa, ame hoje!



O tempo voa e eu não sei nem por onde começar. Sei que passa de meia noite e que eu tenho que ir dormir, pois amanhã acordo cedo para trabalhar. Ironicamente lembrei que quando eu tinha uns 14 anos esse era o horário que as coisas realmente começavam pra mim. Foi dos 11 aos 18, talvez 19, vivendo só as coisas que as madrugadas ofereciam. Lembro também que meu toque de recolher era o quando começava o telecurso 2000, mesmo já estando em 2009.

Lembro também de todas as noites em que eu tinha prazer em ver passar enquanto eu lia minhas revistas teens e assistia aos meus DVDs teens, não existia coisa melhor pra mim naquela época. Hoje, sento em frente ao notebook e não consigo terminar de uma vez só um episódio de “Blossom”, uma série que era transmitida no Brasil pelo SBT e passava na hora do almoço. Antes, eu corria da escola pra poder não perder um segundo sequer, hoje eu corro assistindo ela enquanto tomo café da manhã pra não me atrasar para o trabalho.

Não é que eu esteja arrependido de nada ou que eu esteja reclamando, mas é que as coisas eram tão mais fáceis quando eu não tinha contas a pagar, nem tantas obrigações e a minha única preocupação era saber se o entrevistado daquela madrugada do Jô ia ser alguém interessante ou alguém do elenco de Malhação.

Por mais que o tempo esteja passando rápido demais, eu realmente não me importo se o mundo vai acabar em 2012, porque eu vou poder abrir a minha boca e dizer: Eu vivi! Eu estive aqui, eu conheci pessoas maravilhosas, eu tive amigos, eu tive uma família que me apoiou. Eu saboreei coisas, experimentei de tudo que quis, conheci lugares, senti o vento em meu rosto, senti calor, senti frio, senti a chuva escorrendo em minha pele e, o mais importante de tudo isso, eu senti amor. Amor que transmiti. Amor que recebi. Amor  que foi correspondido.

Portanto, caro leitor imaginário, não se importe se da próxima vez que for encarar o espelho, você venha a perceber que há um fio de cabelo branco em sua cabeça. Pense que, quando você foi jovem, você quis pintá-lo de verde, de vermelho ou de rosa e que você foi feliz em pensar dessa forma. O que nós somos hoje é pura consequência do que fomos há alguns anos. E hoje eu estou ainda mais feliz, espero que você também esteja. Viva o hoje, ame o hoje... AME, HOJE!

14/10/2011

"Locked in my head..."

O que realmente está acontecendo? Nem eu mesmo consigo entender ou explicar. Esse misto de sentimentos, uma sensação de dúvida, de cumplicidade. Um amor que explode e que não dá para guardar. Queria que fosse fácil, mas não é. Nunca é fácil quando o assunto é você.

Me pego pensando na gente em todos os minutos do meu dia. Você está em minha vida há cerca de quatro anos. Mesmo que pareça que eu lhe conheci na maternidade. Você conhece todas as minhas carinhas. Eu sei dizer o que aconteceu com você no raio dos últimos dias, mesmo sem ter te visto, no exato momento em que vejo seu olhar.

Esse sentimento que nos mantém vivos amedronta meu coração. Volto a falar em dúvida. E as nossas famílias? E os nossos amigos? O que eles vão pensar? O que eles vão dizer? Nunca vai ser simples. Nunca poderemos ser o que sonhamos ser. Seria tão bom expor tudo mundo à fora, para que todos percebessem o quanto é verdadeiro o que há em nossos corações.

Ao mesmo tempo sei que isso não vai poder ter continuidade, porque você vai encontrar alguém de outro sexo que possa fazer você mais feliz. Talvez não tanto quanto eu te faça, mas que vai poder lhe pegar no trabalho, lhe dar um beijo e te levar para casa. Fazer amor com você e dormir com sua cabeça deitada sob seu peito. Um amor que nunca vai ser o amor que a gente faz.

Eu queria muito que fossemos um. Mas não dá. Quem sabe, numa outra vida, nossos cosmos e destinos não estejam alinhados da forma que deveriam estar nesta vida. Enquanto isso não acontece, vamos nos manter em segredo, trancados em nossos corações.

30/09/2011

"Claro como a luz do Sol..."

Quero sair com você. Sair para um bar, para um show, para ver um filme. Quero compartilhar momentos contigo. Quero ter histórias pra te contar, ouvir as suas e ter as nossas próprias. Quero te fazer feliz e ser feliz ao teu lado. Ter certeza desse felicidade só de saber que você tá do meu lado e posso ver com meus próprios olhos o seu sorriso.

Quero encostar meu peito no seu e sentir seu coração bater e, se tiver bem de noitinha, bem silêncio e no escuro, poder ouvir suas batidas misturadas a nossa respiração ofegante. Quero sentir seu calor, seu cheiro, seu toque. Beijar sua boca, provar o gosto de seus lábios o sabor de sua língua. Quero você pra mim.

Transbordo em felicidade só de saber que vou descobrir tudo isso em nosso tempo. É gostoso imaginar que você vai ficar sem palavras ao saber isso, que seu coração vai disparar e que você vai ficar com os olhos cheio de lágrimas.

Eu não acreditava mais em paixão. Não acreditava há anos. Estar conhecendo você fez despertar em mim esse sentimento tão lindo e gostoso que eu não quero nunca perder. Seu carinho, sua atenção, seu sorriso, sua fofura, sua alegria, tudo isso e muito, muito, muito mais estão me fazendo ver as coisas de outra forma.
           
Eu te quero muito. Quero mesmo. Você tá me fazendo um bem incrível. Fixe uma ideia em sua cabeça. Uma única coisa, tá? Posso dizer? Eu vou te fazer feliz. E vou ter como propósito a minha felicidade baseada na sua. Prometo-lhe isso com a maior sinceridade que há em minha vida.
Fui claro?

21/09/2011

"Saudade..."

"Ó, meu bem querer, 
o que há no teu olhar?"
(Tami Cerqueira - Minha Saudade)


Mais uma vez perdido em meus pensamentos e batimentos, tentando encontrar algo que me conecte a você. Preciso de alguém para me segurar, para me impedir de tentar lhe procurar outra vez. Mas nosso sentimento é mais forte que eu. A certeza de que ele ainda existe em você, é que ele ainda persiste em mim.

Tudo o que eu já procurei em uma pessoa eu encontrei em você, até as coisas que não preciso. Você soube me surpreender nas horas que eu menos esperava. Eu que já te considerei previsível demais, me vi surpreso e traído por armadilhas que eu mesmo armei, em tentativas frustradas de lhe ver fraquejar, só pra provar que seu amor por mim era verdadeiro.

Tudo o que eu queria era um minuto de sua atenção, um abraço seu, te dar um beijo. O que há em você que me afronta e me faz querer cada vez mais? É claro que é amor. Apesar de tudo o que foi dito, apesar de tudo o que foi feito, sei que nascemos para ficarmos juntos. Talvez ainda sejamos imaturos para perceber a força do nosso amor. Talvez seja medo de assumir o quão grande ele é. Ou, ainda, seja o medo de aceitar que você é realmente o que eu preciso pra mim.

31/08/2011

"Capacidade de mudar..."



“Eu tentei, deixei meu coração na sua mão. 
Descobri que o nosso amor foi pura ilusão”.
(Sandy e Júnior - Adeus)


O que me levou a crer em você novamente? Eu que sempre soube de tudo. Acho que fui levado pela música que tocava baixinho no meu celular, enquanto era ofuscado pelo brilho incansável dos seus olhos, absurdamente imbatíveis diante da meia luz do quarto, enquanto ouvia você dizer pra mim cada palavra que era cantada naquele trechinho de “Hey, Soul Sister”, enquanto me pedia uma segunda chance. Concedi.

O que me levou a deixar acontecer novamente? Eu que sempre fui mais forte. Nunca havia dado uma segunda chance a ninguém. Até mesmo com amigos isso nunca tinha acontecido. Você me fez acreditar que seria diferente, que você havia mudado e que as coisas que desencadearam o – até então – último término, não aconteceriam novamente. As cartas estavam na mesa, na cama, whatever. Tudo havia sido explicado. Aceitei.

Dias passaram. Esses dias tornaram-se meses e essa temporada ao seu “lado” me fez perceber que você não mudou. Você não vai mudar. E todas essas coisas que permeiam em sua cabeça também não vão mudar, ou mudar você. “Mudança” é uma palavra que não se encaixa em seu mundo. A não ser que ela seja devidamente destinada à intenções de mudar a pessoa que está com você.

E – olha que curioso – você conseguiu! Parabéns pra você que me fez mudar de ideia! Fostes tão forte em impor teu ponto de vista que conseguiu me fazer voltar atrás mais de uma vez. É... e eu que pensei em lhe dar uma terceira chance, hein? Só que a dor foi tão grande que eu voltei um pouco atrás demais, mais do que você esperava.

Você pode dizer que sente muito, que não sabe o que fez e que ainda existe amor dentro de ti, mas a única coisa que eu posso fazer é assentir. Assinto, mas não sinto. Não “sinto muito” por você. Por você não sinto nada. Você não se importou nem em ligar pra dizer que não viria, porque eu deveria ligar pra qualquer coisa que seja relacionada a você? Sou mais forte que isso, você verá. Pode até ter mesmo mudado, mas meu eu, não seu, será.

18/08/2011

"Amar é..."


Enquanto aproveito de mim mesmo, assim como você também o fez, ouso escrever de mim, de minha dor e sofrimento, nessa madrugada, atormentado por uma infeliz insônia. Mas também ouso escrever da falta de coerência em suas palavras, ou, da minha falta de noções de percepção em associá-las quando o assunto era você.

Sem rodeios, lembro que você disse que iria me amar para sempre. Realmente, à sua forma, você me amou. Você me ama, não é mesmo? Esqueci que isso foi dito na penúltima vez que nos vimos. Engraçado como é fácil “amar” pra você. Amar, na sua particular versão do que é amor, é dizer que ama. Mas, venho por meio deste, informa-lo que amar é outra coisa.

Amar é viver, é respirar. Amor é um abraço de tirar o fôlego, é um sorriso que brilhe tanto quanto, ou mais, que o raiar do Sol. Amar é sentir falta, é sentir saudade. Amar é mandar mensagem, é ligar no meio da madrugada só para ouvir a sua voz. Amor é ouvir uma música e lembrar você a cada acorde tocado, é ler um texto sem sentido, como esse, e imaginar que foi feito por uma pessoa que tem sentimentos e não se reprime em expressá-los.

Amor é o que eu sinto, é o que eu queria que você sentisse. Amor é esse sentimento que me faz arrepiar apenas por sentir vontade de grudar na tua mão, caminhar com você, conversando, dando risadas e deixando todo mundo com inveja do casal lindo que nós formávamos quando estávamos juntos.

Na verdade, amar é algo que dói, que machuca, que tira o sono. Amor é sentimento forte que faz sangrar. Amor é algo que faz chorar, que faz você se sentir excluído e inferior. Mas isso só acontece quando pessoas como você não sabem fazer as coisas da maneira certa. Porque se você realmente me amasse, ou já tivesse amado alguém na vida, eu não estaria vendo uma brecha do sol entrar por minha janela, essa madrugada. Amor é o que eu não quero mais sentir, pelo menos não mais por você, porque não faz mais sentido. 

11/08/2011

"True blood..."




"Se nós nas travessuras das noites eternas 
Já confundimos tanto as nossas pernas 
Diz com que pernas eu devo seguir
(Eu te amo - Chico Buarque)




Minha gengiva está sangrando. Eu percebi isso enquanto comia. Isso acontece porque, quando fico nervoso, passo a língua repetidas vezes no céu da boca. Na verdade é o céu da boca que está ferido. Foram poucas as vezes em que percebi que poderia desgastar o tecido da parte de cima da língua, com a língua, a ponto de feri-lo.

Hoje, durante a aula, me peguei sete vezes passando a língua na ponta dos dentes. Acho que o céu da boca não estava mais me proporcionando a sensação que preciso sentir...

E, dessa forma, nessa madrugada, percebi que sempre opto por procurar algo mais forte que eu, que me proporcione sensações mais fortes e mais instigantes, quando as outras acabam se tornando cômodas a mim. Enquanto digito cada uma dessas letras, lentamente, para não acordar ninguém, ao som dessa música melancólica, questiono-me se posso relacionar tudo isso a você.

Eu só queria entender o que estava acontecendo. O que se passava em sua cabeça, em seu coração, em seus pensamentos, nos últimos dias. Agora, não obtenho resposta nem mesmo de mim. Não entendo o que se passa dentro de mim. Persistem em meu corpo essa inconstante dúvida, essa inquietude nas pernas, esses batimentos acelerados e, como consequência disso, ferimentos no céu da boca. Boca, essa, que já lhe disse as coisas mais lindas que já ouviu, que já te fez chorar, que tocou a sua e fez seu sangue pulsar extremamente mais forte em suas veias, levando seu sangue à lugares que lhe proporcionou as melhores sensações da sua vida.

Mas, antes que o dia amanheça, me pergunto se lhe interessa saber para onde está indo o sangue que pinga em boca por sua causa. Diz pra mim se o sangue que estou perdendo, por consequência das coisas que foram ditas por ti a mim, faz alguma diferença em sua vida?

29/07/2011

"Então..."




Então, foi assim. Demorou. Já tinha acontecido. Já sabíamos. Mas, ainda assim, então, aconteceu... Pôr pra fora. Dizer. Gritar. Externar sentimentos... Minha cabeça transborda, meus dedos travam. Escrever era fácil, quando o sentimento aflorava. Agora o sentimento se cala. Coração foi convidado a bater mais devagar. Não há mais necessidade de bater por dois. Agora, tem-se tempo. Quer dizer, teria-se tempo, se a condição de “um tempo” fosse aceita.

Quem trabalha com tempo é relógio, calendário, previsão. Eu não. Sinto-me mais confortável com coisas concretas. Relógio funciona como acessório em meu punho esquerdo. Estar como um acessório, esperando sua boa vontade, não se encaixa em meu ideal de vida no momento. Calendário muito menos. Não saberia lidar com o passar dos dias, semanas e meses até obter uma decisão de seu coração.

O coração me leva a previsão. Previsão do seu tempo. Quanto você acha que é possível esperar, até estar pronto novamente? Prefiro não saber. Vejo através da janela de minha alma que você não estará pronto para dar e receber amor no raio dos próximos meses. Vou pensar em ligar, em escrever e dar sinal de vida. Mas talvez não o faça. Vou respeitar o tempo que você desejou. Então, só posso dizer que estou bem e que lhe desejo felicidade. Porque é isso que desejo a todos os meus amigos.

21/07/2011

"?..."



Caro leitor imaginário, estou divido. Não sei que caminho seguir, nem que decisão tomar. É cada vez mais dolorosa a lembrança, quando não deveria ser. Me sinto cansado, quando não tenho motivos para estar. Penso em coisas que aconteceriam, mas sei que podem não acontecer. Confusões alheias confundem meu corpo, cabeça e coração.

Achei que ia acordar pensando em você e que automaticamente se faria um sorriso em meus lábios. Mas, não. Fui acordado por uma ligação de uma pessoa que não era você. Uma pessoa que me disse coisas lindas. Coisas que soariam incríveis se fossem ditas por ti. As ouvi, sorri, levantei, tomei banho e deixei que a água levasse e lavasse toda e qualquer coisa pensada até alí.

Não se pode fazer, o que está sendo feito a mim, a alguém nem a ninguém. Essa coisa de alimentar sentimento não nasceu para qualquer pessoa. Quem está do outro lado recebendo beijos e ouvindo juras de amor tende a acreditar em falsas verdades. Sou do fazer. Sou do dizer e fazer. Sou dos que fazem acreditar, porque há consciência, certeza e verdade naquilo que sai da minha boca.

Há algo em seu sorriso, em seus olhos e no som de sua voz que faz com que eu esqueça toda e qualquer coisa que eu esteja pensando, no exato momento que penso em externar meus sentimentos. É hipnotizante, transtornador, sufocante. A inquietude em meus sentimentos alimenta-se de você.

E se essa confissão por algum momento pareceu desconectada, é porque é assim que eu estou. Esse é só mais um momento de “pensamento soltos traduzidos em palavras”.

Dizem que existem dois tipos de homem: aquele que pega em sua mão para passear contigo e aquele que te leva para cama. Diz pra mim quem é você. 


07/04/2011

"Não durma antes de sonhar..."


"Cause all I wanted to say was something real
All I want you to know is how I feel
All I wanted to give was my heart
But I'm stuck here at the start"

(Colbie Caillat - What I Wanted To Say)




Pode ser tarde demais, pode ser inapropriado, pode até nunca ter precisado nada disso que eu tô fazendo aqui... mas eu sinto falta de você, de falar com você, de ouvir e ser ouvido por você. Sinto falta das suas mãos grandes, dos seus dedos grandes, do seu abraço, do seu jeito. Sinto mais falta ainda do seu sorriso. Não esse sorrisinho fake que vi na foto do seu facebook. Mas aquele sorriso LINDO que você franzia o narizinho lindo e aquecia meu coração.

Eu posso até já ter dito algumas dessas palavras aqui. Mas, hoje elas não significam mais o que significavam antes. Naqueles dias te quis como amante. Mais do que isso, acredito. Agora, não mais...

Você foi mais esperto que eu quando tentou abrir meus olhos dizendo que isso poderia não dar certo. Mas estava dando, até eu terminar contigo achando que estava fazendo a melhor coisa para você. E eu não estava. Nem para mim. Mas tudo isso, como tudo na vida, serviu de ensinamento.

O pior de não ter você não é NÃO ter você. É saber que, mesmo tendo isso tudo que eu disse aí em cima, the things will never be the way they were before. E, contrário a TUDO que a gente conversava no início das ficadas, de quando a gente estava se descobrindo como namorados, é que eu quero ser seu amigo de novo. Porque esse negócio de "I don't wanna be friends" não cola mais. I do wanna be friends with you again.

No buts, DV. (:


"Cause all I wanted to say was something real
All I want you to know is how I feel"
(Colbie Caillat - What I Wanted To Say)

03/04/2011

"Vivi"

"e essa é pro meu Vivi, meu amor, minha maior saudade de todas, minha coisa linda Daniel Victor."
Essa é a descrição do vídeo da música mais lindas de todas as músicas do mundo.


Tami, meu amor, te amo.

29/03/2011

“Menos de 127 minutos...”



"I lost myself is it better not said
Now I'm Closer to the Edge"
(30 Seconds to Mars - Closer To The Edge)


A cidade nova não me oferece muita coisa para fazer. Sinto falta dos meus amores para me arrastar de casa e encher meus dias de risadas e piadinhas particulares (POUCAS SABE). Portanto, sobra-me tempo. Então convidei minha mala para ir ao cinema comigo ver mais um filme. Afinal de contas foram quatro lançamentos em menos de 20 dias. Estou quase me sentindo aqueles críticos de cinema de tanto filme que venho assistindo.


Dessa vez optei por um filme baseado em fatos reais. Preciso de realidade à minha vida de conto de fadas (vivida, assim, não por opção). O escolhido foi “127 Horas”. Caro leitor imaginário, sou do tipo que quando bato o olho em uma coisa sei que vai dar certo. Quando vi pela primeira vez informações sobre o filme, as imagens e o trailer sabia que tinha que assistir.

Não vou contar a trechos nem detalhes da história do Aron. Mas o que se passou com ele quando estava preso entre as rochas durante 127 horas, no meio do nada, onde ninguém o podia ouvir, o fez perceber que ele passa despercebido pelas coisas simples da vida. As coisas que ele realmente deveria ter dado valor quando pôde. E o mesmo aconteceu comigo.

Às vezes uma gota d’água pode fazer toda diferença em sua vida. Ou ela, ou a falta dela. Além disso, foi importante perceber também o quando é importante poder ter sonhos e coisas em que acreditar. Eu tenho muitos sonhos, creio em muitas coisas. A persistência e a força de vontade do jovem para não perder a concentração também foram algo para serem levados em consideração, porque nos impulsiona a não desistir tão fácil e nem se entregar.

Bastaram menos de 127 minutos para eu perceber que as melhores coisas das nossas vidas passam voando. Sei que não precisava do filme para ter certeza disso. Mas, caro leitor imaginário, ele me ajudou e muito. Hoje posso dizer que sou um homem que não vai desistir das coisas. Não tão fácil. Nem se for difícil, também. Se estou aqui foi porque Deus me fez forte para resistir a todas as coisas. E, além de resisti-las, vou superá-las.


"Gonna give everything I have

It's my destiny
I'll never say never (I'll fight)

I'll fight to forever"
(Justin Bieber - Never Say Never)

24/03/2011

“Ciúme + Ciúme = ?...”


"Chega de temer, chorar, sofrer, sorrir, se dar
E se perder e se achar e tudo aquilo que é viver

Eu quero mais é me abrir e que essa vida entre assim"
(Maria Bethânia - Explode coração)

Aqui está você, com seus vinte e poucos anos, com um histórico de vida bastante “vivido” entre viagens, festas, romances e muitas ou poucas amizades. Aí passa uns dias, você conhece alguém. Uma pessoa de fora do seu ciclo social, com hábitos diferentes e com vontade de mudar algo em ti. Passado mais algum tempo, você descobre que essa pessoa quer transformar coisas em sua vida baseado nas atitudes e desejos dela. Essas pessoas vêm camufladas. Elas vão engatinhando até chegar em sua vida e conquistar espaço delas. 

Você sabe pouco sobre ela, mas ela já sabe muita coisa de ti. Ela quer viver um presente ao seu lado, porém quer que você esqueça todo seu passado. Não aceita que amigos, na verdade, grandes amigos lhe escrevam e digam que sentem saudade de ti. Quer mudar seu gosto. Pede para que você apague coisas, rasgue fotos e quer lhe fazer acreditar que isso é normal.

Ciúme, ciúmes, ciúme. Até onde o poder do ciúme tem interferência em sua vida? Até qual ponto alguém pode lhe dizer o que você deve ou não fazer algo, já que isto não estaria de acordo com sua linha de pensamento? Estamos em 2011 e as pessoas ainda descontam no ciúme a desculpa de querer mudar algo em alguém.

Caro leitor imaginário, preste bastante atenção: o ciúme é uma das formas mais inocentes de mostrar que o amor existe. Ciúme não existe para ser levado ao extremo, mas, sim, para ser demonstrado em pequeninas ações para que esse outro alguém perceba que ela não pode viver sem você. Viva 1% do seu ciúme e a pessoa que está contigo vai perceber que você gosta 101% dela. Nunca use o ciúme como desculpa para expor seu ponto de vista. Por fim, nunca permita que alguém use o ciúme como arma em seu relacionamento. Quem ama, confia.


"Hoje quem me difama, viveu na lama também
Comendo a mesma comida, bebendo a minha bebida
Respirando o mesmo ar.
E hoje, por ciúme ou por despeito
Achar-se com o direito de querer me humilhar
Quem foste tu? Quem és tu?
Não és nada!"
(Maria Bethânia - Lama)