28/05/2009

"É mágico, mas não é teatral..."

Caro leitor imaginário, hoje senti vontade de me expressar musicalmente. No momento em que eu estava pensando nisso, estava ouvindo a música "O anjo mais velho" de O Teatro Mágico e não pensei duas vezes em usá-la como forma de expressão. A letra da canção é de Fernando Anitelli:


"O dia mente a cor da noite.
E o diamante a cor dos olhos.
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente."
-
Enquanto houver você do outro lado.
Aqui do outro eu consigo me orientar.
A cena repete a cena se inverte.
Enchendo a minh'alma d'aquilo que outrora eu deixei de acreditar.
-
Tua palavra, tua história.
Tua verdade fazendo escola.
E tua ausência fazendo silêncio em todo lugar.
-
Metade de mim.
Agora é assim.
De um lado a poesia, o verbo, a saudade.
Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim.
E o fim é belo incerto... depende de como você vê.
O novo, o credo, a fé que você deposita em você e só.
-
enquanto eu respirar.
Vou me lembrar de você.
enquanto eu respirar.
-
-
Dedicado à você, que herdou o sorisso mais lindo do mundo e a risada mais sincera que segue acompanhada do fechar de olhos mais fofo do universo! P.S.: PS and I loves you!

24/05/2009

“Nunca pergunte ‘por quê?’...”

“If I’ll lay here. If I’ll just lay here.
Would you lay with me and just forget the world?”

(Snow Patrol - Chasing Cars)

Por que algumas coisas parecem ser tão certas e tão erradas ao mesmo tempo? Por que você significa tanto pra mim? Por que a necessidade de se ter alguém é maior do que as outras necessidades? Por que seu sorriso é tão lindo? Por que as escolhas que nós fazemos nem sempre são as melhores? Por que alguns planos são feitos na mesma velocidade em que são desfeitos? Por que as pessoas mentem, traem, fingem e enganam? Por que todas as decisões têm que ser tomadas por nós? Por que suas mensagens de texto são tão desconcertantes? Por que as coisas parecem ser tão mais fáceis para as outras pessoas do que para nós mesmos? Por que que eu não consigo acalmar as borboletas em meu estômago? Por que as músicas despertam nossos instintos e nos transmitem sensações que nos fazem cometer crimes? (Sim, crimes). Por que só você me faz perder o sono? Por que suas mãos são tão lindas? Por que a vida nos filmes e seriados é tão perfeita? “Por que as pessoas perfeitas moram a 816 km de distância?”

Caro leitor imaginário, nem todas as perguntas são feitas para a mesma pessoa, até porque algumas são perguntas em que a resposta vai ser encontrada dentro de você (ou de mim). Mas, se um dia você encontrar a resposta certa para apenas uma dessas outras perguntas, você vai me fazer a pessoa mais feliz do mundo! Obrigado.

“Por que eu posso atravessar o mundo,
ver tudo e nunca estar satisfeito…
Se eu não pudesse ver seus olhos.”
(Jonas Brothers – Hello Beautiful)

13/05/2009

“Meu amor, nosso amor estava escrito nas estrelas...”

“Eu ficava olhando as estrelas, e fazia um pedido ao luar.
Eu buscava um amor nos meus sonhos, e um dia encontrei seu olhar”
(O Amor Faz – Sandy & Junior)


Hoje algo chamou minha atenção: vindo pra casa vi uma estrela-cadente. Fiquei surpreso com o acontecido por dois motivos: ao vê-la, me dei conta de que nunca mais tinha parado pra prestar atenção na magnitude do céu, gastar tempo observando a lua e as estrelas, ou simplesmente observar a chuva cair... Aquilo que chamam de “as coisas simples da vida”. Do outro lado, me dei conta de que, ao ficar impressionado com isso, perdi a oportunidade de fazer meu pedido, já que os pedidos só podem ser feitos no exato momento da queda da estrela.

Porém, ao virar a esquina percebi que a estrela tinha piscado mais uma vez, e, por sua vez, tornou a apagar. Cheguei a pensar que era um sinal pra que meu possível pedido fosse feito. Ao observar com mais sagacidade, meus olhos não falharam e me mostraram que aquilo não era uma estrela, muito menos cadente, mas, sim, um vaga-lume. Fiquei muito intrigado, como se aquele, sim, fosse um sinal, algo pra que eu colocasse os pés no chão, pra me mostrar que “nem tudo que reluz é ouro”.

É bom abrir os olhos pra enxergar as coisas de outro ângulo, pra eu perceber isso foi só virar a esquina. Nossos olhos às vezes nos confundem e pregam peças em nós. Principalmente se estão acompanhados de pensamentos que nos fazem viajar e esquecer que “a vida está aí pra ser vivida”.

Hoje, não sei se você reparou, caro leitor imaginário, mas a Lua veio vestida de sangue, em sua mais pura essência. Alguém muito especial me disse que as blood moons servem para mostrar que certas coisas não são o fim do mundo. Que algumas coisas machucam e que elas lhe fazem sangrar, assim como a Lua, mas que você ficaria bem.

Ouso compará-la com minha confiança: após passar por várias fases em um determinado tempo, eis que ela é adquirida. Mas, se você fizer com que ela se perca e a faça sangrar, ela some pra talvez nunca mais ser vista outra vez... como o cometa Halley.

Portanto, o melhor a fazer é esquecer que existem estrelas cadentes, por que elas podem ser apenas vaga-lumes; deixar para trás também os pedidos, por que o que tem de acontecer, uma hora ou outra acontece, é só ter fé e esperar; e, simplesmente acreditar no poder da Lua, porque um dia tudo vai ficar bem.

03/05/2009

"O tempo vai passar.."

“I don’t wanna talk, about the things we’re going trough.”
(ABBA – The Winner Takes It All)

Sabe aquelas coisas que só acontecem com você? Só chamam a atenção de seus sentimentos? E que por mais que as pessoas perguntem, e digam que entendem o que você está passando, você sabe que em seu íntimo elas realmente não entendem e que aquela é só mais uma pessoa que está compartilhando seu momento? Eu realmente não gosto de falar sobre isso. Mas vou ressaltar alguns pontos aqui que não cabem mais em mim.

Dói saber que todas as decisões são sempre nós que temos que tomar. Dói mais ainda quando essas decisões não são coisas relacionadas ao trabalho ou aos estudos que pode ser solucionadas em grupo ou é algo que não vai te afetar tão profundamente, e sim, quando estas têm ligação direta com as pessoas mais próximas à você. Nossa família e nossos amigos são os principais responsáveis por grande parte de nossos momentos mais marcantes. Momentos únicos que não voltam mais.

Sentimento é algo inexplicável. Um ato simples, meia dúzia de palavras pode te destruir por inteiro. Tenho medo de mim, sou muito rancoroso, às vezes nem me reconheço quando algo me incomoda ou quando estou com raiva de alguém. Isso mesmo, raiva. Sinto-me indiferente em relação à pessoa que sinto raiva, como se não precisa dela para nada. Sendo que, nesse caso, eu preciso (e muito).

Esse feriado foi uma miséria em minha vida. Quando eu mais precisei estar em outros lugares para ocupar-me com outras coisas eu não pude. Cansei de Internet, não tinha nada para estudar, não tinha (e nunca tem) nada em minha cidade. Até ontem quando fui à uma festa que foi boa nas 5, talvez 6, horas em que eu fiquei por lá, mesmo não tendo esquecidos esses sentimentos em momento algum. Quando voltei para casa e lembrei-me de tudo de novo, mastiguei todos os sentimentos junto com a angústia, com a ansiedade, com a impaciência, e com a falta de coragem de tomar uma atitude que me rendeu uma baita dor de cabeça. Não foi tão forte quanto uma enxaqueca, mas o incomodo daquele zumbido em meu ouvido foi a dose. Sem falar que eu não posso sequer culpar o álcool por isso, já que eu não bebo.

Infelizmente não vou me estender nesse post. Não posso falar mais. Só sei que essa história só vai ter fim quando EU quiser, porque é algo que ME incomoda. As outras pessoas relacionadas à isso (mesmo se importando e se incomodando) parecem não se importar e não se incomodar. Enquanto não tenho novidades, ficam aqui registrados minha raiva, minha angústia e todo o meu rancor.

Nem me preocupo, sabia? Tudo passa mesmo.
"O tempo passa e com ele passa a dor"
(Marjorie Estiano - Tudo Passa)