29/03/2011

“Menos de 127 minutos...”



"I lost myself is it better not said
Now I'm Closer to the Edge"
(30 Seconds to Mars - Closer To The Edge)


A cidade nova não me oferece muita coisa para fazer. Sinto falta dos meus amores para me arrastar de casa e encher meus dias de risadas e piadinhas particulares (POUCAS SABE). Portanto, sobra-me tempo. Então convidei minha mala para ir ao cinema comigo ver mais um filme. Afinal de contas foram quatro lançamentos em menos de 20 dias. Estou quase me sentindo aqueles críticos de cinema de tanto filme que venho assistindo.


Dessa vez optei por um filme baseado em fatos reais. Preciso de realidade à minha vida de conto de fadas (vivida, assim, não por opção). O escolhido foi “127 Horas”. Caro leitor imaginário, sou do tipo que quando bato o olho em uma coisa sei que vai dar certo. Quando vi pela primeira vez informações sobre o filme, as imagens e o trailer sabia que tinha que assistir.

Não vou contar a trechos nem detalhes da história do Aron. Mas o que se passou com ele quando estava preso entre as rochas durante 127 horas, no meio do nada, onde ninguém o podia ouvir, o fez perceber que ele passa despercebido pelas coisas simples da vida. As coisas que ele realmente deveria ter dado valor quando pôde. E o mesmo aconteceu comigo.

Às vezes uma gota d’água pode fazer toda diferença em sua vida. Ou ela, ou a falta dela. Além disso, foi importante perceber também o quando é importante poder ter sonhos e coisas em que acreditar. Eu tenho muitos sonhos, creio em muitas coisas. A persistência e a força de vontade do jovem para não perder a concentração também foram algo para serem levados em consideração, porque nos impulsiona a não desistir tão fácil e nem se entregar.

Bastaram menos de 127 minutos para eu perceber que as melhores coisas das nossas vidas passam voando. Sei que não precisava do filme para ter certeza disso. Mas, caro leitor imaginário, ele me ajudou e muito. Hoje posso dizer que sou um homem que não vai desistir das coisas. Não tão fácil. Nem se for difícil, também. Se estou aqui foi porque Deus me fez forte para resistir a todas as coisas. E, além de resisti-las, vou superá-las.


"Gonna give everything I have

It's my destiny
I'll never say never (I'll fight)

I'll fight to forever"
(Justin Bieber - Never Say Never)

24/03/2011

“Ciúme + Ciúme = ?...”


"Chega de temer, chorar, sofrer, sorrir, se dar
E se perder e se achar e tudo aquilo que é viver

Eu quero mais é me abrir e que essa vida entre assim"
(Maria Bethânia - Explode coração)

Aqui está você, com seus vinte e poucos anos, com um histórico de vida bastante “vivido” entre viagens, festas, romances e muitas ou poucas amizades. Aí passa uns dias, você conhece alguém. Uma pessoa de fora do seu ciclo social, com hábitos diferentes e com vontade de mudar algo em ti. Passado mais algum tempo, você descobre que essa pessoa quer transformar coisas em sua vida baseado nas atitudes e desejos dela. Essas pessoas vêm camufladas. Elas vão engatinhando até chegar em sua vida e conquistar espaço delas. 

Você sabe pouco sobre ela, mas ela já sabe muita coisa de ti. Ela quer viver um presente ao seu lado, porém quer que você esqueça todo seu passado. Não aceita que amigos, na verdade, grandes amigos lhe escrevam e digam que sentem saudade de ti. Quer mudar seu gosto. Pede para que você apague coisas, rasgue fotos e quer lhe fazer acreditar que isso é normal.

Ciúme, ciúmes, ciúme. Até onde o poder do ciúme tem interferência em sua vida? Até qual ponto alguém pode lhe dizer o que você deve ou não fazer algo, já que isto não estaria de acordo com sua linha de pensamento? Estamos em 2011 e as pessoas ainda descontam no ciúme a desculpa de querer mudar algo em alguém.

Caro leitor imaginário, preste bastante atenção: o ciúme é uma das formas mais inocentes de mostrar que o amor existe. Ciúme não existe para ser levado ao extremo, mas, sim, para ser demonstrado em pequeninas ações para que esse outro alguém perceba que ela não pode viver sem você. Viva 1% do seu ciúme e a pessoa que está contigo vai perceber que você gosta 101% dela. Nunca use o ciúme como desculpa para expor seu ponto de vista. Por fim, nunca permita que alguém use o ciúme como arma em seu relacionamento. Quem ama, confia.


"Hoje quem me difama, viveu na lama também
Comendo a mesma comida, bebendo a minha bebida
Respirando o mesmo ar.
E hoje, por ciúme ou por despeito
Achar-se com o direito de querer me humilhar
Quem foste tu? Quem és tu?
Não és nada!"
(Maria Bethânia - Lama)