Contrate

19/11/2008

"I'm going through changes..."

“E aqui estou eu sozinho com o tempo.
O tempo que você me pediu.
Isso é orgulho do passado,
um presente para você.
Uma delicada lembrança.
Branca neve que nunca senti.
Solidão me deixe forte.
Talvez resolva meus problemas.”

(Mudança de Comportamento – Ira!)


Tem uma comunidade no Orkut que diz: “Porque a cabeça tenta esquecer... o que o coração não consegue?”. Eu não sei não, viu!? Não sei mesmo! Olhe, caríssimo leitor imaginário, a gente tenta, tenta e tenta... mas não dá! Não é que eu queira, mas, mesmo que eu quisesse, não daria. Isso é fato.

Na ultima terça-feira, fui ator principal da cena de um filme que, eu tinha uma certeza quase absoluta, que eu saberia o que fazer, caso essa cena realmente acontecesse... e aconteceu! Mas nada do que eu havia planejado sucedeu.

Estava tudo indo muito, muito bem. E, como um clichê, não deveria continuar indo bem assim. E não continuou. Nada continuou. Tudo parou, exceto minhas mãos e minhas pernas que estremeciam feito loucas, e meu coração, que pulsava mais forte a cada passo que eu dava em direção à um lugar que acabou perdendo toda a graça para mim. Nada mais fez sentido.

Meu corpo estava lá, mas minha cabeça, a cabeça que tenta esquecer, absurdamente não estava! Via coisas em minha frente, imaginei milhares de outras situações, situações em que eu agiria, se eu pudesse, de outra forma. Lembrei de coisas que aconteceram, de coisas que ouvi, coisas que vivi, e que (por mais que tenham sido boas), não quero viver novamente.

Então, eu penso: “E se eu fosse conversar com você? E se eu te contasse tudo o que está acontecendo desde ‘então’? E se você soubesse o quanto estou bem? Você iria conseguir dormir? Porque eu sei que você iria (e agora vai) ficar pensando em mim no momento em que você repousar sua cabeça no travesseiro.” Penso que eu deveria fazer, ou ter feito, todas essas coisas. Mas algo, às vezes alguém, tentava tirar minha atenção, e por Deus acabava conseguindo.

Eu acabei indo para a casa de uma amiga. Lá, mesmo com um aperto no peito, o computador e todos os seus aplicativos e a televisão e todos os seus programas, acabaram por me distrair madrugada adentro, vencendo-me pelo cansaço.

“O mundo fica lento. Mas meu coração bate depressa nesse momento.
Sei que essa é a parte onde o fim começa”
(I Hate This Part – The Pussycat Dolls)

2 comentários:

Luísa disse...

" As vezes eu não sei se quero parar porque estou cansada ou porque quero desistir." [Clarice Lispector]

Preciso dizer mais alguiam coisa?
Acho que Clarice já comentou seu post muito bem! Rsrs

Riick disse...

Nem sei o que dizer...só sei que AMO essa música
Mas, prefiro interpreta-la dessa maneira
"I HATE THIS PART(Y)"
rs.

prefiro entendê-la assim, já que, eu odeio viver essas partes.
[;)]


Contrate